Liminar da Justiça suspende venda de quarteirão no Itaim-Bibi

By | 5 de agosto de 2011

Prefeitura e Câmara criaram lei que autoriza a remoção de escola, teatro e até Apae na zona sul.

Em minha opinião isso soa muito estranho, todos os paulistanos sabem que a Zona Sul é uma área muito cobiçada, boa parte das pessoas que moram nessa região possuem um poder aquisitivo muito alto.

Criar uma lei que autoriza a remoção de CRECHES, TEATROS e a APAE na zona sul qual a justificativa? O que mais precisamos é de creche, escolas, teatros, apae e biblioteca nada justifica a remoção de creches e teatros, da para entender porque não houve interesse algum em manter o Cine Belas Artes na Consolação, onde boa parte dos filmes era nacional.

Kassab não subestime a capacidade de raciocínio dos paulistanos, para as promessas no qual o Senhor fez na sua campanha podemos ver com clareza exatamente quais são os interesses.

Com 7 bilhões em caixa é preciso vender área pública para fazer creche Kassab?

Leia a matéria.

Fábio Mazzitelli – O Estado de S.Paulo

SÃO PAULO – A 8ª Vara de Fazenda Pública da capital suspendeu nesta quinta-feira, 4, o processo de venda do quarteirão do Itaim Bibi, zona sul da capital. O juiz Adriano Marcos Laroca concedeu liminar acolhendo pedido de suspensão da lei municipal que viabilizou a alienação (transferência de bens) da área, feito em ação popular movida pelo vereador Aurélio Miguel (PR).

Um dos principais argumentos que dão base à decisão é a abertura do processo de tombamento do quarteirão no Condephaat, órgão estadual de preservação do patrimônio histórico e cultural. O magistrado acredita não ser “nada razoável, tampouco econômico, a sanção e a promulgação da aludida lei (julho de 2011), sabendo-se do tombamento provisório (abril de 2011), sobretudo, por conta da possibilidade de realização de despesas desnecessárias e, portanto, indevidas, relativas à avaliação da área e à elaboração do projeto de sua licitação”.

A decisão judicial anula temporariamente os atos da Câmara Municipal e do prefeito Gilberto Kassab (sem partido) que culminaram na publicação da Lei 15.397, de 2011, que permite a venda do terreno de 20 mil metros quadrados, delimitado pelas ruas Horácio Lafer, Salvador Cardoso, Cojuba e Lopes Neto. No local, funcionam hoje oito equipamentos públicos: uma creche, uma pré-escola, uma escola, um posto de saúde, um Centro de Atenção Psicossocial (Caps), um teatro, uma biblioteca e uma unidade da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae).

Procurada, a Prefeitura de São Paulo informou que ainda não havia sido notificada da decisão.

Veja também:
link Prefeitura quer vender 10 áreas para fazer creche
link Teatro de área à venda no Itaim será reaberto
link OPINIÃO – Vende-se terrenos públicos

Fonte: Estadao.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *